quinta-feira, 16 de abril de 2009

Encosta a Moto ai

Você já teve que provar que não era um marginal? Então você não mora em Pelotas.
Aqui é assim, até que se prove o contrário a população é tratada com desconfiança e desrespeito.
Um simples farol queimado é motivo para ser tratado como se tivesse cometido um crime. “Desculpa seu guarda mas o farol fica na minha bunda e eu não enxerguei que estava queimado”, vontade não me faltou de falar assim. "Melhor não, posso ser presa por sinceridade".

A abordagem é sempre a mesma independente se você está indo pra casa ou se está fugindo da polícia. “Encosta a moto”. 'Boa noite' não precisa, esse casal de jovens deve ser traficante. "Não, não, somos apenas estudantes".
'Pra calçada'! “Mas eu não estou armada”.
- Documentos da moto
- "Estão aqui, em dia como sempre"!
- Tu trabalha?
- "Claro desde meus 15 anos".
- Faz o que??
- "Porra quer me contratar é"?

Depois de uma longa conversa e minutos de tensão finalmente o motivo pelo que fomos parados. O bendito farol. “Essa merda tem mal contato”.
'Dessa vez vai passa, vou só fazer uma notificação. Vê se arruma isso ai'.
"Ta bom seu guarda, obrigado por avisar. Há tem uma galera fumando craque na Bento, se der passa lá".

Um comentário:

[dii] disse...

Bah... tas tri Caco Barcellos, hein? coisa boa isso e que bom que tás postando!
também... com um absurdo desses é impossível ficar calada... que angústia me dá com essa hipocrisia que está na nossa volta.. precisamos provar que NÃO somos marginais pra termos algum direito de andarmos livres por aí.. enquanto tanta coisa terrível acontece em todos os cantos.. e os "porcos" continuam agindo como se não tivesse nada... Lamentável, revoltante.